Home / Substratos para cultivo de cannabis indoor

Substratos para cultivo de cannabis indoor

A importância de um bom substrato

Quando um grupo de cultivadores começa a falar em substratos para maconha pode ter certeza de que cada um dos participantes terá sua fórmula perfeita e irretocável.
Isso já é prova suficiente de que não existe um único substrato correto.

Mas, afinal, que é exatamente um substrato para cultivo indoor?

Substrato é o meio em que se desenvolvem as raízes das plantas de cannabis para crescer e se desenvolver adequadamente.
Quando falamos em substrato para cultivo indoor, além disso, já estamos inferindo que se trata de uma mistura de substâncias e não apenas da terra in natura.
Junto com os nutrientes, a luz e a água, o substrato é um dos quatro pilares sobre os quais poderemos produzir uma maconha de qualidade e em uma quantidade satisfatória.
Como a parte aérea da planta está determinada pelo desenvolvimento radicular, quanto melhor se desenvolvam estas raízes, melhor se desenvolverão os talos, folhas e flores.

1.- O que é um bom substrato

1.1.- Biodiversidade
1.2.- Composição
1.3.- Textura
1.4.- Estrutura

Saiba como fazer uma excelente estufa para cultivo indoor gastando pouco.

Biodiversidade

Em países como o Brasil, onde cultivar cannabis ainda é crime, as pessoas são obrigadas a plantar indoor, com o qual é necessário comprar ou produzir o próprio substrato. Assim, alteram-se as condições de biodiversidade que a terra, o solo, tem em condições naturais.
Nela convivem bactérias, fungos, minhocas em uma infinidade de variedades, algumas que beneficiam a planta e outras patógenas, de forma geral em perfeito equilíbrio.
Por isso é importante que nosso substrato esteja composto também com terra natural, húmus de minhoca e que seja utilizado algum fertilizante orgânico, como compost, para suprir estes elementos naturais.

Composição

Todo substrato está composto por componentes minerais e orgânicos.
As partículas minerais se classificam de acordo com seu tamanho, areias as maiores e argilas as menores. A argila é a que nos interessa particularmente pois tem a propriedade de fazer o intercâmbio de nutrientes com a água e a matéria orgânica.
A matéria orgânica – restos de seres vivos em decomposição, excrementos, etc – é fundamental para a nutrição das plantas, como habitat dos micro-organismos, minhocas e outros animais e também para regular fatores tais como a estrutura, textura, o pH e a retenção de água.

Textura

A textura do substrato depende maiormente da proporção de componentes inorgânicos do solo. Assim, temos solos predominantemente arenosos e outros mais argilosos.
A cannabis se desenvolve melhor em solos equilibrados, com predominância argilosa, mas com boa drenagem e ricos em nutrientes.

Substratos espcíficos para cada fase.

Estrutura

A estrutura do substrato está determinada pela proporção e qualidade dos elementos orgânicos e inorgânicos que permite a formação de estruturas com maior ou menor porosidade, onde água e ar podem circular e entrar em contato com as raízes.
Desta maneira ela influi diretamente no desenvolvimento das plantas, especialmente da cannabis que é muito suscetível tanto à falta como ao excesso de água e ar.

Substratos vegetais

Turfa

Turfa para substrato
A turfa absorve água e colabora para acidificar solos básicos.

A turfa é uma substância ou material de origem vegetal, produto da decomposição parcial de um tipo de musgo chamado Sphagnum ou minoritariamente de Hypnum, outra variedade de musgo.
A turfa é encontrada em banhados e pântanos e a utilizamos nos substratos porque facilita o desenvolvimento das raízes e sua capacidade de reter água.
Também pode ser utilizada para acidificar um substrato com pH muito alto.

Compost

O Compost é a forma de adubo orgânico mais utilizado em pequenos e médios cultivos.
É originado pela decomposição aeróbica de resíduos orgânicos tais como frutas, folhas, restos de comida, excrementos, etc.
Bactérias, fungos, insetos, protozoários, minhocas e diversos outros organismos e micro-organismos contribuem para aquela decomposição. Durante este processo a temperatura aumenta até o ponto em que a maior parte dos micro-organismos patógenos morre o que converte o compost em um adubo seguro.
É importante não utilizar o compost feito de forma caseira até que esteja realmente estabilizado, não liberando mais calor nem gases já que, do contrário, poderemos estar incorporando organismos que produzem substâncias tóxicas.
Também pode ser interessante usá-lo diluído em um pouco de água já que, em alguns casos, pode queimar as plantas.

Fibra de coco

A fibra de coco é utilizada para deixar o substrato mais esponjoso e solto. Por ter uma certa capacidade absorvente retém água ao mesmo tempo que permite a drenagem.

Casca de arroz

Substratos - Casca de arroz
Casca de arroz

A casca de arroz, um subproduto do processamento deste cereal, é muito utilizada em diferentes tipos de cultivo como uma forma de melhorar a drenagem dos substratos. O seu pH baixo contribui para acidificar solos com pH básico, mas não acrescenta praticamente nada em termos de nutrientes.

Cinza de madeira

A cinza de madeira pode ser um dos componente de um substrato onde se queira aumentar o pH, pode ser interessante também no período de floração já que possui baixos índices de Nitrogênio (N) mas alto conteúdo de potássio (K), fósforo (P), cálcio (Ca) e Magnésio (Mg).
Outra aplicação importante é como repelente de insetos, caramujos e lesmas.
Nunca utilize cinza de madeiras tratadas pois contém produtos tóxicos para suas plantas.

Substratos animais

Húmus de minhoca

É o produto resultante da digestão de restos orgânicos pelas minhocas e a decomposição natural destes excrementos. É muito rico em nutrientes tais como Nitrogênio (N), Potássio (K) e Fósforo (P) e facilmente absorvido pelas plantas o que o torna um adubo barato e eficiente.
Outra propriedade importante é a de favorecer o crescimento das plantas na sua fase inicial pelo alto conteúdo de hormônios o que faz com que o húmus de minhoca seja bastante utilizado após a germinação ou na produção de clones.
Deve-se ter muito cuidado de misturá-lo com outros produtos que favoreçam a drenagem já que o húmus tende a absorver e reter muita água.

Aprenda aqui como fazer um minhocário para alimentar suas plantas com um excelente adubo orgânico

Estrume ou esterco

O esterco é um dos abonos mais utilizados em médios e pequenos cultivos por serem ricos em macronutrientes e pelo baixo custo. Dependendo do animal de onde este esterco provém encontraremos diferenças significativas no conteúdo destes macronutrientes, assim, a bosta de bovino pode fornecer boas concentrações de nitrogênio e potássio e baixas concentrações de fósforo, boa então para a fase vegetativa, enquanto o esterco de porco tem maiores conteúdos de fósforo que de potássio e nitrogênio, para ser utilizada preferencialmente na fase de floração.
De qualquer forma deve-se ter muito cuidado que o estrume destes animais esteja bem seco e “curado”, quer dizer que tenha passado pelo processo de compostagem e esteja livre de micro-organismos patógenos.
Mesmo assim devemos cuidar também das proporções utilizadas, não devendo nunca ultrapassar os 15% de concentração de esterco na água da rega.
Um tipo de esterco muito utilizado por cultivadores avançados é o esterco de morcego que contém altas concentrações de fósforo (P) mas, por ser um produto importado, seu custo é relativamente elevado.
O excremento de cachorros e gatos não é aconselhável por conter substâncias tóxicas.

Farinha de ossos

É um fertilizante rico em fósforo e potássio o que o faz especialmente interessante na fase de floração. Por ser de decomposição lenta pode ser colocada no substrato já na preparação, tem também a propriedade de ser um bom regulador da acidez do solo.
É barato e fácil de conseguir.

Farinha de sangue

Também um subproduto dos frigoríficos, a farinha de sangue apresenta conteúdo importante de nitrogênio, fundamental no período vegetativo. Da ação bastante rápida pode ser utilizada, com cuidado, para aumentar a acidez do solo, sem esquecer de respeitar as doses recomendadas pelo fornecedor pois pode queimar as suas plantas.

Substratos minerais

Areia

A areia quase não contém qualquer nutriente mas pode ser utilizada para melhorar a drenagem de compostos argilosos.
De qualquer maneira não é muito recomendável pois com o tempo tende a se separar e compactar, diminuindo a sua capacidade de aumentar a circulação de água e ar.

Perlita

Perlita vulcânica
Perlita para substrato

A perlita é um material de origem vulcânico; leve e inerte é muito utilizada no cultivo de cannabis por favorecer a aereação e drenagem dos substratos sem interferir na retenção de água e nutrientes.
Deve se ter cuidado ao manipulá-la pois algumas partículas ficam extremamente finas, formando um pó leve, quase um gás, que não deve ser aspirado.

Vermiculita

Vermiculita
Vermiculita é muito utilizada em cultivos indoor.

A vermiculita é um material muito abundante na natureza e, como a perlita, utilizado na sua forma expandida. Embora de difícil aproveitamento, pois são liberados de forma muito lenta, a vermiculita possui alguns nutrientes como Magnésio, Ferro e Alumínio, mas a sua principal propriedade é a de reter água pelo que deve ser utilizada em uma proporção menor que a perlita.

Argila expandida

Argila expandida
Argila expandida, excelente para favorecer a drenagem e aereação das raízes.

É um material cerâmico produzido pela exposição de argilas a temperaturas de mais de 1.000°C ficando com a forma de bolinhas leves e inertes que tem a propriedade de serem leves e muito porosas auxiliando na aereação das raízes e facilitando a drenagem do substrato.

 

error: Content is protected !!