Home / Substratos específicos para cada fase

Substratos específicos para cada fase

Muitas pessoas contataram nosso site solicitando um acréscimo a nossa página de substratos , dicas de substratos específicos para cada fase do cultivo.
Mesmo tendo claro que não existe uma única opção em cada uma dessas fases, variando tanto em relação à cepa (strain), condições de clima e muitas outras variáveis, decidimos então sugerir algumas possibilidades.
As proporções sugeridas estão referenciadas à quantidade e não ao peso dos materiais.

1.- Substrato específico para germinação.
2.- Substrato específico para clonagem.
3.- Substrato específico para vegetativo.
4.- Substrato específico para floração.

Substrato para germinação

Para a germinação costuma-se utilizar algodão ou papel toalha. No entanto, o uso de substrato tem algumas vantagens. Colocar a semente a germinar em um recipiente em que já possa se desenvolver, sem precisar de mais uma intervenção do cultivador, permite que não se corra o perigo de romper a raiz nem os minúsculos pelinhos que a recobrem.

Também o fenômeno conhecido como gravitropismo, que não é outra coisa que a raiz ir para baixo enquanto o futuro talo vai para cima, pode começar já sem a nossa intervenção, muitas vezes atrapalhada. Não são poucos os exemplos de cultivadores que, ao tirarem a semente germinada do papel e colocá-la no novo recipiente, a deixam cair com a raiz para cima, tendo como consequência um atraso no crescimento da planta ou mesmo a perda da mesma.

Aqui, então, podemos utilizar um substrato predominantemente inerte:

SUBSTRATO QUANTIDADE AÇÃO
Perlita 30% Drenagem
Turfa ou fibra de coco 30% Retenção umidade
Vermiculita 20% Retenção umidade
Húmus de minhoca 20% Nutrição
Calcário dolomítico 1 colher chá Regulador de PH

 

Substrato para clones

Os clones são uma solução barata e simples para não depender da compra ou obtenção de sementes, além de podermos conservar alguma variedade de cannabis que achamos interessante.
Veja aqui como clonar a sua planta e ter sempre aquela maconha que você tanto gostou.
Como os clones não são outra coisa que raminhas cortadas da planta mãe, elas não tem raízes, com o qual não podem se alimentar retirando nutrientes da terra. Apenas as raízes comecem a aparecer nas bordas do recipiente você irá transplantá-las para o vaso onde continuarão seu período vegetativo.
O mais importante é termos certeza de que o substrato tenha a capacidade de reter a umidade sendo, ao mesmo tempo, bem solto e esponjoso para facilitar o desenvolvimento das raízes.

SUBSTRATO QUANTIDADE AÇÃO
Perlita 40% Drenagem
Turfa ou fibra de coco 40% Retenção umidade
Vermiculita 20% Retenção umidade

Em alguns casos pode ser interessante adicionar uma pequena quantidade, digamos 10%, de húmus de minhoca já que ele contém hormônios que irão ajudar no aparecimento e desenvolvimento das raízes… mas não é imprescindível.

Substrato para o vegetativo

No período vegetativo a planta se desenvolve e fortalece visando criar as condições de produzir, quando chegado o momento, melhores flores e frutos.
Para isso o substrato deve ser abundante e possibilitar o crescimento e desenvolvimento de raízes, tronco, galhos e massa foliar.
Deve poder reter a umidade e os nutrientes, ter um escoamento facilitado e ajudar no desenvolvimento das raízes, além de conter macro e micronutrientes em quantidade suficiente como para manter a planta alimentada para além dos nutrientes que irão sendo fornecidos nas regas. Também é importante a presença de microrganismos imprescindíveis para a absorção desses nutrientes.

Assim poderemos sugerir o seguinte substrato:

SUBSTRATO QUANTIDADE AÇÃO
Perlita 25% Drenagem
Húmus de minhoca 25% Nutrição/Retenção umidade
Turfa ou fibra de coco 20% Retenção umidade
Terra preta orgãnica 20% Nutrição/Retenção umidade
Vermiculita 10% Retenção umidade

Para cada 5lt de substrato:

Uma colher de sopa de calcário dolomítico.

Duas colheres de chá de pó de torta de mamona.

Uma colher rasa de pó de osso calcinado.

Substrato para floração

Para a fase de floração precisamos praticamente o mesmo tipo de substrato que para o vegetativo, com a diferença de que, agora, altos níveis de nitrogênio podem ser prejudiciais.
Alguns cultivadores experientes recomendam fazer um flushing (lavado) das raízes antes de trocar o fotoperíodo para 12/12, evitando assim que os nutrientes do vegetativo atrapalhem a absorção dos preferencialmente utilizados na floração.
A nossa experiência, no entanto, não mostra que há grande diferença no resultado final.
Basta na última semana do vegetativo regar apenas com água limpa e, no novo recipiente em que iremos transplantar, utilizar um substrato sem adicionar a torta de mamona.
Teremos assim a seguinte configuração:

SUBSTRATO QUANTIDADE AÇÃO
Perlita 25% Drenagem
Húmus de minhoca 25% Nutrição/Retenção umidade
Turfa ou fibra de coco 20% Retenção umidade
Terra preta orgãnica 20% Nutrição/Retenção umidade
Vermiculita 10% Retenção umidade

Para cada 5lt de substrato:

Uma colher de sopa de calcário dolomítico.

Uma (ou duas) colher rasa de pó de osso calcinado.

Duas colheres rasas de cinza de madeira.

Para quem tiver acesso é muito recomendável o guano de morcego, caro e difícil de conseguir. Deve ser utilizado em baixas concentrações.

Tanto no caso do vegetativo quanto da floração é recomendável fazer, no fundo do vaso, uma cama de argila expandida e, por cima dela outra camada de fibra de coco inteira (não em pó).

Este recurso facilita a aereação das raízes e também evita o excesso de água que poderia apodrecê-las.

error: Content is protected !!